sábado, 9 de fevereiro de 2008

Para Cris ( a mãe do Francisco)

Não pude deixar passar em branco o que eu senti quando li a matéria da revista Gloss (tô fazendo propaganda de graça!!) sobre algumas histórias de superação. A que mais me marcou foi a de Cris, é pra ela (pra que ela saiba pelo menos um pouco do que eu senti) e pra vocês ( para que aprendam alguma coisa através da vida dela) que estou escrevendo esse texto.
A história da Cris é triste, é difícil, é de amor e de dor.
A Cristiana Guerra perdeu o marido, Guilherme, que morreu de morte súbita aos 38 anos quando ela estava grávida de seu filho, Francisco.
Antes que isso acontecesse, Cris já havia perdido os pais, que morreram de câncer, e havia sofrido 2 abortos espontâneos.
Depois disso tudo, o que a fez ainda suportar e tentar superar essas perdas?
O filho, FRANCISCO.
Se não fosse por ele, ela já não teria mais razões para continuar viva.
A história dela veio antes de eu começar a falar o que penso porque sem ela ninguém entenderia o que se passou na minha cabeça quando a li.
A Cris não perdeu nenhuma parte do corpo, não perdeu os movimentos...Ela perdeu algo que vai além disso e que (não querendo menosprezar os problemas dos outros) faz muito mais falta, traz muito mais tristeza e dor.
Ela perdeu os pais, o marido. Ela perdeu os amores mais sinceros que alguém pode ter, ela perdeu as companhias mais agradáveis, os momentos mais carinhosos, uma parte da história da sua vida.
Mas ainda assim, ela continua firme e forte levando sua vida com seu filhinho, um pedacinho do marido dela.
Cris é um exemplo de como nossos problemas, nossas dificuldades tornam-se pequenas frente aos problemas de outras pessoas. E é um incentivo para nos fazer enfrentar os empecilhos que a vida nos impõe e seguir em frente, com esperança de um futuro melhor que virá.
Para você, Cris.

3 comentários:

Samarone Lima disse...

Ops, fui o primeiro a comentar?
Ótimo, depois trocaremos algumas idéias.
Beijos,
Sama

sirley disse...

Clarisse... sou amigo e visitante constante do blog de Sama, vi o teu comentário lá no estuário e resolvi visitar o teu blog... acredito que Sama te dará algumas dicas, mas, se vc me premite, vou tecer um pequeno comentário... o teu texto e descritivo, mas vc consegue se envolver com a história da Cris, porém acredito que você pode e deve ousar mais, o caminho e esse escrever, reescrever, encontrar um caminho, também me aventuro no mundo dos escritores de blog, alguns escritos meus considero bons, outros nem tanto, não tenho o mesmo talento de Sama, e quendo nos referimos ao blog, é importante ter em mente que alguns textos estarão ótimos e outros nem tanto, isso deve ser um exercício constante, não desiste, vou continuar visitando teu blog e se quiser e tiver tempo da uma passado no meu blog: www.sobreumaseoutras.blogspot.com
um grande abraço para ti!

Patrícia e Pietra disse...

clarissa, quando vi o título vim ver... tb sou uma admiradora de cris. Parabéns pela homenagem.